Entenda o que é a Salvação

 

Clique na imagem acima para assistir a esta animação legendada antes de ler o texto

Ou então clique neste link abaixo para assistir a versão dublada: http://www.youtube.com/watch?v=kLgbCFSDE-s&feature=related

Texto de Joanilson Rodrigues

Sempre ouvimos dizer que ” Jesus Salva “. Repetimos tantas vezes esta expressão, quase à exaustão, ao ponto de muitos perderem o verdadeiro significado da salvação em Jesus Cristo.

Talvez justamente pela execessiva repetição, o cérebro não registra mais o seu significado, sobretudo para os crentes, para os que se consideram salvos em Cristo Jesus.

Meu coração se despedaça com a arrogância dos crentes que se acham justos diante de Deus. Lembro-me de dois homens que se julgavam assim, e desse modo arrogante se posicionavam diante de Deus. São eles: O Jovem rico e o fariseu (*Aquele orando com o publicano no templo).

1. O Jovem rico, que disse a Jesus tudo o que tinha feito de bom, ou melhor o quanto era bom.

“E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?

E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.

Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho;

Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Disse-lhe o jovem: Tudo isso EU tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.

E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. ” Mateus 19:16-22

Meditando

Acredito que o Jovem esperava ouvir de Jesus o seguinte: ” Meu jovem, não te falta nada. Você é sensacional! Aliás,  todos em Israel deveriam se espelhar em você…. Você é demais!  Que Crente fantástico que você é! Parabéns! Parabéns! Você é o máximo! “

Mas não foi isso que Jesus lhe respondeu. E por quê? Porque o senhor sabe que depois de anos servindo-o, corremos o sério risco de nos esquecermos justamente do que fomos salvos (do inferno e condenação eterna a que o pecado nos leva) só porque alguém morreu em nosso lugar, recebendo o castigo que seria, com justiça, destinado a nós.

Hoje vemos pais que deixam os filhos aos cuidados de outros e não se importam com os gastos que estes tem com seus filhos, ou ainda vemos filhos que deixam pais idosos aos cuidados de outros e da mesma forma não perguntam jamais aos cuidadores quanto tempo ou dinheiro têm gasto.

Esta atitude irresponsável é a mesma que muitos têm com Deus nos dias atuais. Pensam: bem se Deus pagou, está pago! Eu posso levar a minha vida sem problema algum e não preciso ficar agradecendo a todo instante por aquilo que Jesus fez por mim.

 Este é um grave problema dos cristãos do século XXI: a ingratidão. Não se trata de uma ingratidão comum, daquela de não agradecermos pelo alimento ou pela saúde ou pela família, mas daquela de ter total consciência de que um inocente morreu em meu lugar e eu vivo tranquilamente como se nada tivesse acontecido.  Isto é muito grave. Não posso considerar este fato como uma coisa banal, pois não é!

Decoram jargões religiosos, mas se esqueceram do que a verdadeira gratidão por tão grande sacrifício deveria fazer em nós: nos levar à verdadeira humildade e a também a amar os demais pecadores, pois são tão dignos de castigo quanto eu.

 Em nada somos melhores do que ladrões, prostitutas ou adúlteros porque não fizemos estas coisas à vista de todos.

Vamos ao segundo exemplo

2. O homem fariseu dentro do templo que orava arrogantemente “agradecendo” a Deus por não ser como o publicano que estava ali, mas o publicano, chorava e batia no peito pedindo perdão a Deus por seus pecados. Jesus diz que dentre os dois, somente o publicano foi justificado, mas que o outro homem que se dizia justo foi condenado:

” Propôs também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano. O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: Ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho.  Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, o pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.” Lucas 18. 9-14

O que pensaríamos de uma situação hipotética como esta: Um criminoso diante do juiz, lhe diz: “Quebra essa, sr. Juiz…! Apesar de eu estar ciente que cometi esses crimes mesmo, por favor, não me condene. Me libere da pena, por favor!”

O que você pensaria desse juiz, se ele liberasse o criminoso? Do que você o chamaria?

No mínimo de corrupto, não é? Pois bem, Deus não é um juiz corrupto, ele é o Justo Juiz e fará o criminoso pagar pelo que fez, ou melhor, o crime não poderá ficar impune (sem punição), no entanto é justamente aí que se encontra grande equívoco do povo de Deus, pois muitos não entendem o que de fato ocorre.

O criminoso (de pecado) é você! O criminoso sou eu! Mas quem sofreu a pena, voluntariamente em nosso lugar foi Jesus Cristo!

O aspecto principal é que, quer seja antes de nos convertermos ou depois da conversão, pecamos tantas vezes em nossas vidas que não poderíamos pagar a conta, pois a palavra de Deus afirma que todos pecaram e todos estão destituídos da glória de Deus. (Rm 3:23)

O aspecto principal é que Jesus Cristo pagou a dívida em teu lugar e em meu lugar.   O castigo justo que deveria cair sobre nós caiu injustamente sobre ele.

Contudo isso não foi um acidente ou um erro judicial, não foi. Foi uma atitude consciente e voluntária daquele que nos amou, mesmo nós sendo pecadores e imerecedores de sua infinita graça.

“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. ” (Isaías 53:5)

Somos dignos de morte, não importa se somos cristãos há  cinquenta anos ou há cinquenta minutos. Dignos de morte porque pecamos alguma vez na vida, e bastaria uma única vez para a condenação ter efeito sobre nós, pois basta a ocorrência de um único crime para que o criminoso seja digno de sofrer penalidade pelo que fez.

Mas porque servimos a Deus indo a alguma reunião, missa, culto ou momento de oração nos achamos mais dignos do que os demais de receber os benefícios de Deus? A palavra diz que ninguém será justificado pelas obras.

” Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. ” Gálatas 2:16

“Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.” Romanos 3:20

A nossa própria palavra pode nos condenar

A palavra diz : ” Mas eu vos digo que de toda a palavra inútil que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.” Mateus 12:36

 Você tem dito alguma palavra inútil ou maldizente ? Você tem falado mal de servos de Deus? Você pode pensar que isso não tem nada a ver com juízo ( julgamento de Deus dado por uma sentença), mas nenhuma vírgula da palavra cairá no chão sem que se cumpra. A palavra diz que em dia de juízo Deus te cobrará pelas tuas palavras. Isso é muito grave. Considere isso e busque na palavra a confirmação desta afirmação. Alguém poderá dizer :” Talvez Deus mude quanto a isso…”

Dizem as sagradas escrituras o seguinte:

” O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.” Mateus 24:35

Não importa a quantos cultos ou missas você foi, mas se você falou mal de uma autoridade constituída por Deus em tua vida deve saber que terás que prestar contas ao altíssimo. Por isso nosso Senhor Jesus disse:

“Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.”Mateus 12:37

Jesus ainda disse: ” Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem.” Mateus 15:18

Veja o quanto o Apóstolo Paulo sabia dessa verdade bíblica, tanto que se retratou após falar rispidamente com o sumo sacerdote: “

E, pondo Paulo os olhos no conselho, disse: Homens irmãos, até ao dia de hoje tenho andado diante de Deus com toda a boa consciência.

Mas o sumo sacerdote, Ananias, mandou aos que estavam junto dele que o ferissem na boca.

Então Paulo lhe disse: Deus te ferirá, parede branqueada; tu estás aqui assentado para julgar-me conforme a lei, e contra a lei me mandas ferir?

E os que ali estavam disseram: Injurias o sumo sacerdote de Deus?

E Paulo disse: Não sabia, irmãos, que era o sumo sacerdote; porque está escrito: Não dirás mal do príncipe do teu povo. ” Atos 23:1-5

 Se haverá condenação para o que dissermos, não deveríamos agora mesmo pedir perdão a Deus e as pessoas de quem falamos mal, mesmo que elas não saibam do teor ou da gravidade do que dissemos, sobretudo aqueles a quem Deus constituiu como autoridade sobre um povo?

Você acha que o juízo ( julgamento) de Deus será daqui  a muitos séculos, no fim dos tempos? Saiba que Deus pode nos julgar hoje mesmo.

Jesus disse: “Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? ” Lucas 12:20

Teoria da Vacina

Se perdermos isso de vista, podemos acreditar falsamente que a salvação  é uma espécie de vacina, como afirma o pregador americano Paul Washer em suas pregações.

Por essa visão, uma vez que aceitamos a Jesus, estamos liberado até o fim da vida de qualquer postura humilde diante de Deus e acreditamos que as coisas chegam a nós por meritocracia e não por graça, sendo que o significado de graça é Concessão de favor não merecido.

Você não pode esquecer que é digno de morte. O fato de Jesus ter pagado a tua dívida, não muda o fato da tua  e da minha dignidade à morte. Para se colocar como justo. Nem eu nem você somos justos, somos “justificados pelo sacrifício de Jesus em nosso lugar”.  Nenhuma dignidade vem de nós.  Não somos justos, somos justificados,ou seja, feitos como se fossemos justos, sem sermos. Só porque alguém pagou a nossa dívida e sofreu em nosso lugar o nosso merecido castigo.

Quando Jesus diz ao jovem rico: “Porque me chamas de bom…?” Justamente para tirar dele este sentimento maligno de que “somos bons “ou “dignos de alguma coisa”. Bom, somente Deus o é, disse Jesus ao arrogante Jovem.

Ao aceitarmos a salvação que Jesus nos proporciona através do seu sacrifício feito em nosso lugar, não podemos perder isso de vista. Por todos os dias de nossa vida teremos que saber e afirmar que somente ele é digno de toda a honra porque sendo nós pecadores ele, sendo santo, limpo, justo, bom e verdadeiro morre em teu e em meu lugar, reles pecadores que somos e indignos de qualquer bondade por parte dele.

Desculpem-me os que não tem humildade para afirmarem, mas a ele e somente a ele seja toda e honra e toda a glória agora e para sempre.

 A salvação vem do senhor e não de nós. Deus vai julgar a sua igreja antes de julgar o mundo.

“Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus? “1 Pedro 4:17

Depondo as nossas coroas

Um poderoso tratar de Deus para confirmar esta palavra profética, diz respeito às nossas coroas. 

É sabido que todo crente espera ser coroado por Deus por aquilo que fizer nesta vida quando chegar ao céu.(I cor 9:25).

Sabemos que os grandes homens e mulheres da fé receberão de Deus a coroa de vitória quando completarem a sua jornada e chegarem no céu.

Essa idéia por si só, poderia envaidecer os crentes deste mundo porque se achariam dignos de receber tal coroa. Podemos pensar: nada mais justo que recebamos das mãos de Deus tais coroas da vitória. 

Eu gostaria de convidá-lo a ver a postura daqueles que, no céu, já receberam das mãos de Deus esta coroa. Trata-se dos vinte e quatro anciãos. Eles são os doze apóstolos e os doze patriarcas das Doze tribos de Israel. Homens nobres e justos (podemos corretamente pensar) e, portanto, mais do que merecedores de tal honra.

Vejamos o que eles fizeram quando, por fim, receberam suas  tão esperadas coroas no céu:

” Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam o que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo: Digno és tu, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas. ” Apocalipse 4:10-11

Eles lançavam as coroas como se dissessem: ” O que tal honra está fazendo em minha cabeça? Eu não sou digno dela! Somente tu, Óh Senhor, é que és digno de recebê-la! Recebe-a de volta!

Tal atitude de humildade de verdadeira humilhação e adoração é que o Senhor espera de nós.

 Nos posicionemos com humildade diante do Senhor e saibamos que quaisquer benefícios, além da salvação que recebermos, é por pura graça e não por mérito nosso.

Lancemos fora a arrogância de nossa suposta meritocracia diante de Deus, assim como os anciãos lançaram fora as próprias coroas, e nos portemos como seus verdadeiros servos que, com alegria, o servem por pura gratidão pelo que Jesus Cristo fez na cruz do calvário por todos nós, meros pecadores.

Texto de Joanilson Rodrigues

Você foi abençoado com o que recebeu nesta página? Então agradeça a Deus e compartilhe com outras pessoas, para que elas sejam abençoadas também!

Se puder, abençoe nosso ministério, o qual não é financiado ou patrocinado por nenhuma igreja, por isso, dependemos da Generosidade de corações como o teu.

Agora você pode ajudar o Ministério ” Joanilson Rodrigues e Marília Rodrigues ” com Depósito  PAGSEGURO do UOL, que é  uma empresa confiável para pagamentos Nacionais e Internacionais.

Você pode escolher a melhor forma de fazer a sua doação (de qualquer valor) de qualquer lugar do mundo:  Cartão de Crédito – Cartão de Débito – Boleto Bancário. Basta clicar na imagem abaixo e seguir as instruções.

Caso não queira doar pelo PAGSEGURO, por favor,  visite a seção Doações.

LEMBRETE

Lembramos que não ficamos de posse de nenhum de seus dados, pois toda doação é feita diretamente ao PAGSEGURO e a quantia que você nos doar, só nos será repassada por eles após 14 dias de sua efetuação, quando expira o prazo para cancelamento de doação.

Você não conhece o PAGSEGURO? É uma empresa da UOL  e é totalmente confiável na qual você poderá fazer a sua doação sem receio algum, pelo método que melhor lhe convier, mas se desejar mais informações prévias sobre o seu funcionamento e idoneidade antes de efetuar a sua doação, por favor acesse as seguintes páginas:

1- PAGSEGURO em português:    https://pagseguro.uol.com.br/sobre_o_pagseguro.jhtml

2- PAGSEGURO in English:

https://pagseguro.uol.com.br/en/how-it-works.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s