Homossexualismo e a Homofobia

Clique em uma das imagens abaixo para assistir a um dos vídeos de testemunho

  

 Se puder, assista a esses três vídeos antes de ler esta matéria.

Amor e Respeito sempre! Ter pensamento unânime, não!

Você sabe realmente o que é homofobia?

 Quero através do presente artigo propor uma reflexão mais profunda sobre o tema do que a mera repetição de jargões que temos visto nos meios de comunicação que tem contaminado até mesmo jornalistas outrora pensantes, inquietos e não moldáveis às tradicionais fôrmas dogmáticas sociais.

No Brasil sofremos de um mal chamado de contaminação linguística onde termos originais perdem o seu sentido se usado em outro contexto. Como, por exemplo, quando se manda alguém ” sentar no colo”…. na verdade se quer dizer “sentar na perna” de alguém.

Na verdade, colo é a parte situada entre o pescoço e o peito… daí vem o nome “colar – colarinho –gola”.. ou seja, do colo… Mas por contaminação linguística ela perdeu o seu sentido original.

Homo em grego que dizer “igual, do mesmo, o mesmo”, algo homogêneo é algo que tem a mesma composição. Fobia quer dizer “medo”. O Psicólogo George Weinberg criou, em uma obra impressa em 1971, o neologismo (*”nova” palavra, inexistente em uma língua usada para nomear ou renomear algo) Homofobia para referir-se não ao medo, mas a aversão pelo homossexualismo que é a prática de sexo por pessoas do mesmo gênero ( homem com homem ou mulher com mulher).

Assim como outros termos da língua portuguesa, podemos dizer que houve sim uma Contaminação linguística para o uso inadequado da palavra, pois “homofobia” difere de todos os outros tipos de fobias conhecidos e a sua aplicação no sentido de repulsa ou aversão é, no mínimo, impreciso.

Claustrofobia é medo de ficar em lugares apertados e com pouco espaço; Aracnofobia é medo de aranha; Acrofobia é o medo de altura, mas Homofobia, como é usado, não significa ter medo de homossexuais, mas sim verdadeira repulsa por eles, agredindo-os física ou verbalmente e até assassinando-os.

“Homofóbicos” X “AntiCristos”

A psiquiatria qualifica a Homofobia como uma doença, um desvio comportamental no qual se deseja a morte e o extermínio de homossexuais. Portanto, dizer que uma pessoa é homofóbica equivale a chamá-la de doente e com forte predisposição a se tornar um assassino. É uma ofensa grave a honra de quem não se enquadre neste rótulo. Infelizmente, hoje há alguns militantes gays qualificando indistintamente como “homofóbicos” qualquer um que discorde da prática homossexual. Isso é um erro gigantesco, pois existe um verdadeiro abismo que distancia o direito de discordar da prática homossexual e uma efetiva agressão contra a pessoa humana.

Em 2012 a marcha gay de São Paulo lançou o Slogan : “homofobia tem cura!”  Novamente tentando qualificar como “doente” quem discorda da prática homossexual. Somos contra a homofobia. Qualquer cristão ou não cristão deve ser, mas devemos saber realmente que homofóbico não é quem seja contra a prática e sim quem seja a favor de agressão ou a cometa de fato. Existe uma diferença abismal entre essas duas coisas. Cristãos autênticos que discordem plenamente da prática homossexual, mas que sejam absolutamente contra agressão (de qualquer tipo), não podem ser classificados jamais como homofóbicos. Mesmo muçulmanos, budistas ou ateus.

O equívoco, além de ser uma grave ofensa, é qualificar qualquer um que discorde da prática homossexual de “homofóbico”.

Imagine se os cristãos começassem a qualificar todo gay ou simpatizante do Homossexualismo de “Anticristo” porque não aceita as palavras de Jesus Cristo quando ele afirma claramente no evangelho: “Deus os fez macho e fêmea e o Homem se unirá a sua mulher e os dois ( homem e mulher) serão uma só carne.”( Marcos 10:6-8)

Muitos gays não aceitam para si as palavras de Jesus Cristo para unirem-se conforme o padrão bíblico de homem com mulher e mulher com homem, mas vivem a realidade de Homem com homem e mulher com mulher.  Eles têm este direito social? Claro que sim. Mas seria correto chamar a todo que vive deste modo de “AntiCristo” por não viverem o que Jesus Cristo ensinou? Seria justo qualificar todo gay de “AntiCristo”? Certamente que não porque o termo “AntiCristo” carrega consigo muito mais do que uma mera expressão idiomática, traz consigo também desprezo, ódio, repulsa e conspiração para a destruição de todos os que professam a Jesus Cristo e ao cristianismo.

Da mesma forma é um erro gravíssimo chamar de homofóbico qualquer um que discorde da prática homossexual  por convicção nas sagradas escrituras, no Alcorão, Torah, ou qualquer outro livro religioso e que qualifique o ato como pecaminoso (que desagrada a Deus) o ato homossexual.

Este ato de xingar alguém de “homofóbico” deve ser passível de Processo por Injúria, segundo o artigo 140 do  Código de processo Penal. Dependendo do caso, o crime de xingar alguém de homofóbico pode ser qualificado também como Calúnia, por atribuir ato violento a alguém que não o praticou, ou seja, trata-se de uma mentira que atinge diretamente a honra da pessoa, denegrindo sua imagem publicamente com atribuição ou fato mentiroso.

Só para ilustrar, vale lembrar que depois da segunda guerra mundial, muitas Instituições no Brasil que tinham nomes Italianos ou alemães tiveram que mudar seus nomes por conta da alusão genérica  que a sociedade fazia com o Nazismo e Fascismo no Brasil. Clubes esportivos na cidade de São Paulo  são um grande exemplo: O “Palestra Itália” teve que mudar seu nome para “Palmeiras”…. O “Germânia” ( Alemanha) para Esporte Clube Pinheiros.  Podemos perguntar: será que todo alemão era nazista? será que todo italiano era ou é fascista? Certamente que não!

Do mesmo modo, o cristianismo sempre considerou o homossexualismo um pecado e assim o fará, com exceção das novas seitas cujos pastores e pastoras mudaram o evangelho a fim de adaptar a doutrina cristã aos seus próprios pecados criando novas heresias, contrariando assim o que ensinou o apóstolo Paulo na sua Carta aos Gálatas, capítulo 1, versículo 8: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.”

Discordar pacificamente é um direito que todos tem, mas dizer que quem discorda da prática tem o desejo de matar ou agredir é de uma mentira, uma leviandade sem tamanho e digna de um processo por injúria e calúnia a quem o fizer.

Há canais de televisão insinuando que não se pode discordar nem com um olhar do Homossexualismo. Ora, se pegássemos então as ofensas mútuas entre os torcedores dos diferentes times de futebol nas redes sociais, o que diríamos então? Há inúmeros casos de confrontos terminados em morte, há ofensas mútuas a honra de torcedores. Não há dúvida de que há muito mais gravidade e demanda nesses conflitos sociais do que na pregação do evangelho que discorda da prática homossexual, mas ensina o amor ao gay.

É óbvio que discordamos de quaisquer ofensas a quem quer que seja, por isso devemos manisfestar o nosso repúdio à qualificação indevida de “Homofóbico” a toda pessoa que discordar da prática homossexual, pois é um direito inalienável conforme as inúmeras Referências Constitucionais no presente texto.

Sabemos que isto é alimentado na mídia porque vários diretores tanto do telejornalismo quanto da dramaturgia militam em causa própria e querem cercear toda a sociedade impedindo-a de discordar.

Para um cristão, é fundamental lembrar que o mandamento de Deus diz claramente: “Não matarás !”.  Jesus disse quem disser ao seu irmão: Raca (Em hebraico:homem vil, homem reles) seja digno do Sinédrio (conselho máximo dos judeus). Portanto, não podemos jamais agredir com palavras ou atos quaisquer pessoas, sejam elas homossexuais ou não, nem tampouco apoiar atos de agressão contra eles.

FILIAÇÃO DIVINA

Há um jargão popular que diz: Todos são filhos de Deus!

Será que todos são filhos, realmente? Infelizmente não, não são! Segundo a bíblia “se tornarão filhos” somente os que crerem em Jesus Cristo e os que o receberem (leia em João 1:12)

Em Romanos 8:14 -16 diz: ” Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai! O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus “.

O fato é que devemos sim amar e respeitar a todas as pessoas, sendo elas homossexuais ou não.

Mas é fato também que, segundo a bíblia, o homem foi feito para mulher e mulher para o homem. Segundo a ciência,  não existe biologicamente um cromossomo intermediário que seja um meio termo entre homem e mulher, mesmo o falso hermafrodita é uma exceção e não uma regra.

Portanto, segundo a biologia, existem somente dois sexos: masculino e feminino, assim está em toda a legislação e em todos os documentos que portamos.

Um homem gay, por mais afeminado que seja, não  é uma mulher. Ele tem ossos de homem, força de homem e impeto sexual de homem, não de mulher.

Portanto,  é importante distinguir “sexo” de “sexualidade”.

O “sexo” (masculino e feminino) é biológico e hereditário, ninguém escolhe se vai nascer com todo o sistema reprodutor masculino ou todo o sistema reprodutor feminino, incluindo neles o pênis e a Vagina.

Já a “sexualidade”,  é comportamental. É a maneira como se utiliza os órgãos sexuais em relação a si mesmo ou a outro ser, é aprendida no decorrer da vida. Podemos escolher os comportamentos que teremos. É claro que o meio onde se vive, influencia tal comportamento, mas não o determina.

É possível que alguém seja filho de pais drogados e violentos e tenha, na vida adulta, outro comportamento, contudo as probabilidades diminuem significativamente devido ao modo como o cérebro humano aprende e reproduz padrões comportamentais as chamadas sinapses comportamentais.

Embora o ambiente tenha uma poderosa influência no comportamento humano, sempre será uma escolha do indivíduo qual comportamento escolher diante da enorme gama que se apresenta a ele diariamente: violência ou autocontrole – Sinceridade ou ironia- Comer só vegetais ou ser carnívoro- Praticar dança ou arte marcial- aprender a atirar ou a tocar um instrumento musical- desenvolver habilidades físicas ou intelectuais- Praticar a fidelidade conjugal ou viver em adultério – seguir uma religião ou ser ateu…

São escolhas que moldam e traduzem o que nos tornamos no decorrer da vida. Muitos acreditam na “predestinação do caráter” ou seja, acreditam que ele é inato, ou seja nasce com o indivíduo e que é impossível ser transformado no decorrer da vida, mas sabemos que isso não é verdade.

Uma pessoa pode ser violenta, por exemplo, tendo inúmeros ataques de fúria no decorrer da vida por problemas na glândula supra-renal que fica acima dos rins e libera a adrenalina em excesso.

Em se tratando de conduta sexual, o ser humano pode  e sabe escolher. É isso o que o diferencia dos demais animais que vivem unicamente por instinto.

O que a bíblia ensina é que o homem que não tem Deus é escravo dos seus desejos e acaba dominado por eles tornando-se seu escravo. Esta escravidão começa nos pensamentos, sobre os quais aliás, tais pessoas não tem controle algum embora afirmem categoricamente o contrário.

Podemos dizer que uma determinada pessoa que contraiu matrimônio, fez promessas de fidelidade e trai sexualmente o cônjuge não tem opção? Que ela está determinada (pela “natureza”) a trair? Certamente, não!

O que existe é uma opção sexual, pois é um comportamento aprendido e uma escolha, não uma determinação sexual, que deveria ser biológica ou hereditária.

O ser humano, diferente de outros animais, tem a incrível capacidade de escolher o parceiro sexual ou até de abster-se de sexo e até hoje não há uma só prova científica de que o homossexualismo seja determinado por causas biológicas ou hereditárias, portanto é sim um comportamento aprendido ao longo da vida e uma escolha que o indivíduo faz.

Sociologicamente, estão tentando criar uma nomenclatura que classifique um terceiro, quarto, quinto ou mais sexos como se houvesse algum fator biológico que os determinasse.

UNANIMIZAÇÃO

O controvertido dramaturgo Nelson Rodrigues disse:” toda unanimidade é burra!”

Valendo-se desse pensamento, podemos verificar que um traço muitíssimo perigoso no movimento gay atual é a tentativa de “unanimização” das opiniões. Ou seja, ninguém pode se manifestar contra o homossexualismo que isso é tido como “homofobia”.  Não é!

Homofobia é agressão (física ou moral) contra  a pessoa homossexual, não contra a sua prática.

As pessoas podem publicamente se manifestar contra a religião sem contudo agredir religiosos, embora costumeiramente façam uso dessa agressão, inclusive muitos movimentos gays  declaram publicamente desprezo  à bíblia, a padres ou a pastores, como podemos ver no vídeo na seção Contra

Isto é lícito? É! Mas não podemos esquecer que a democracia é uma estrada de duas vias. Ou seja, se  é permitido contrapor-se legitimamente ao comportamento religioso, também o é não ser adepto a comportamentos sexuais ou contrapor-se filosoficamente a comportamentos quaisquer.

Há pessoas que se confessam “corintianos” até morrer, ou “Flamenguistas” até morrer… Para quem não conhece, esses são times de futebol brasileiros e seus torcedores se confessam partidários deles até a morte. É uma hipérbole? Provavelmente. Mas esse tipo de atitude também está embutida no ativismo gay.

Não podemos permitir que alguém seja punido porque tem uma opinião contra uma filosofia, ideologia ou religião.

No estado de São Paulo, entretanto, há a lei estadual 10.948/2001 que pune com multa “quem praticar violências, constrangimentos e intimidações, sejam morais, éticas, filosóficas ou psicológicas; a vedação de ingresso a locais públicos ou privados abertos ao público…”( artigo 2º) O que a torna inconstitucional ao meu ver, porque violência filosófica pode significar “ter uma opinião contrária baseada na bíblia ou preceito religioso.

Isto, por si só, abre uma brecha para um conflito sem precedentes por conta que o Estado brasileiro nunca proibiu a liberdade de culto religioso exceto nos primórdios da colonização brasileira.

Liberdade de culto é liberdade de crença e isso implica em ter liberdade de opinião sobre preceitos que envolvem a vida das pessoas sem lhes impor por força a regra, mas sim pela convicção de verdade, sendo cada um, de acordo com sua consciência, livre para seguir ou não tais preceitos.

LIBERDADE DE CULTO E LAICIDADE DO ESTADO BRASILEIRO

Primeiramente devemos desfazer uma grande confusão que fazem entre “Estado” e “Nação“.

O Estado é o governo, eleito pelo povo e para o povo. São as Instituições e poderes que governam o país e os seus dirigentes foram eleitos pela Nação para Governar para ela. Tais instituições não são religiosas.

Devem ser sempre imparciais e justas para todos os cidadãos do país, independentemente de credo, cor ou gênero (masculino ou feminino), assegurando o bem geral da nação  que se traduz  como o “bem comum” que é um princípio que sempre estará acima do “bem individual”.

O Estado tem o dever de assegurar que ninguém, individualmente, se coloque acima do “bem de todos”, ou seja, direitos individuais não podem ser colocados acima do direito da maioria.

Obedecendo a esta diretriz, as propriedades devem, por exemplo, exercer o seu “papel social“, ou seja, se por exemplo, uma pessoa possuir muitos apartamentos, casas, fazendas e não produzir nada, não os vender, não os alugar e elas servirem somente para especulação imobiliária, é dever do Estado, obrigar o proprietário a fazer cumprir o “papel social” daqueles imóveis, caso contrário ele poderá perdê-los.

A “Nação” contudo, não é o “Estado” ou o “Governo”, mas sim as pessoas que habitam no território.

O Estado é laico, mas a Nação não é.

O Estado, servo da Nação,  não tem religião, mas os milhões de habitantes que ergueram e sustentam o Estado, têm.

O Estado deve servir a Nação e nunca o contrário. Isso é Democracia e o contrário disto é ditadura. Os governantes são representantes do povo e, especificamente este povo, o Brasileiro, crê em Deus! Isso, segundo todos os dados oficiais de pesquisas “laicas” do Instituto Brasileiro de geografia e Estatística (IBGE).

A Nação tem identidade. A Nação é formada por pessoas que têm histórias e crenças que construíram a liberdade que temos hoje.

O Censo do IBGE  de 2010 perguntou a religião das pessoas e em um universo de mais de 190 milhões de pessoas, dessas , somente 8,0 % (oito por cento) se declaram “sem religião“. Isso quer dizer que apenas 15, 2 milhões são totalmente “laicos”, enquanto que os demais,  174,8 (cento e setenta e quatro milhões e oitocentas mil) pessoas tem religião e não são “leigas” nesse sentido de não crer em Deus.

O que significam esses dados? Significa que a Nação Brasileira não é ateísta ou anti cristã, ao contrário! Laico, como estão proferindo atualmente, quer dizer “leigo” que não tem religião. Isso não é verdade quando se refere a Nação Brasileira.

Muitos desses movimentos querem deturpar o sentido de “laico” (leigo) transformando-o em “laicista“, ou seja, nessa corrompida definição, Leigo seria o que “não tem religião“. A ideia “laicista” quer fazer com que todos também não tenham, não confessem e nem professem as suas religiões.

O que ocorre hoje é uma “tirania da minoria” que quer impor seu modo de vida para a maioria.

Se a nação Brasileira fosse “laicista” como quer esse movimento, não teríamos importantíssimas Instituições de Ensino Confessionais (que se declaram “portadoras de uma fé”) como a “Pontifícia Universidade Católica (PUC)” ou a “Universidade Presbiteriana Mackenzie“, por exemplo.

Além dessas temos como Instituições confessionais a Universidade Metodista, Colégio Arquidiocesano, Colégio de São Bento, Colégio Adventista… Só para citar algumas poucas, mas importantíssimas Instituições de ensino que muito contribuíram e contribuem para a edificação e crescimento da Nação Brasileira.

Portanto, a nossa Nação não é e nem será Laicista. Há pouco li uma notícia em um site que ilustra esse equívoco do laicismo em contraposição aos valores históricos dessas Instituições.

A contaminação deste pensamento, quer chegar ao absurdo de estudantes e professores da Pontifícia Universidade Católica fazerem greve e pedirem para a Instituição se tornar laica! A palavra “Pontifícia” quer dizer que está submissa ao “Pontificado” (Governo Papal) e por isso, deve ser direcionada primordialmente pelos princípios e pelas leis da Igreja Católica Apostólica Romana.

Em última instância, significa que ela deve agregar as melhores práticas de ensino aos seus valores religiosos, já que a Instituição foi fundada, administrada e dirigida pela igreja desde sempre.

Recentemente, o Ministério Público moveu uma ação para retirar das cédulas de dinheiro brasileiro a expressão “Deus seja Louvado“. Por quê? Dizem que é porque o “Estado é Laico” e não deve louvar a Deus, mas a pergunta que fazemos é a seguinte: A Nação é laica também?

O Censo  IBGE 2010 deixa claro que não! São nada menos que 174 milhões de pessoas que creem em Deus e usam o dinheiro diariamente contra 15,2 milhões de ateus (ou pelo menos, “sem religião”) Ou seja, para cada pessoa que diz que não crê em Deus ou em alguma religião no Brasil, há cerca de uma dúzia que diz que acredita.

Em respeito à maioria que crê em Deus, obviamente deveria ser mantida a expressão “Deus seja louvado” e não retirá-la em favor de uma minoria incomodada com a crença da maioria. Mas a grande questão atual é a seguinte: como pode uma minoria dominar a maioria? Justamente porque a mansidão e pacificidade (desejo pela paz) possuem uma fronteira divisória muito tênue com a passividade, que é ficar inerte, sem reação, anestesiado.

São coisas completamente diferentes e a única coisa próxima entre elas é a pronúncia e grafia. Poderíamos classificá-las como “parônimos”, ou seja, palavras de grafia semelhante mas com significados totalmente diferentes.

Sabemos que as crenças de uma pessoa determinam o seu modo de vida, mesmo as de um ateu. Os cristãos de um modo geral sempre tiveram um amor radical por Jesus Cristo ao ponto de estarem dispostos  a morrer em prol do evangelho.

Ainda hoje, sobretudo nos países árabes, encontramos cristãos como o Youcef Nadarkani que foi condenado a morrer enforcado pelo simples fato de haver se tornado cristão e deixado a fé islâmica. Mesmo diante da liberdade sendo oferecida a ele em troca de negar o Cristianismo e a Jesus Cristo, ele preferiu a morte.

Houve uma grande pressão dos cristãos ao redor do mundo, mas sobretudo dos senadores cristãos brasileiros, e dentre eles o Senador Magno Malta, que devido à amizade do Brasil com o Irã, obtiveram a libertação do Pastor Youcef Nadarkani em 09 de setembro de 2012.

O Brasil está entre os países de maior prestígio no mundo no que se refere à liberdade religiosa, pois todas as religiões no solo brasileiro gozam do mesmo direito à liberdade de culto na forma da lei, ainda que apregoem valores que distem do cristianismo, que é a crença professada pela imensa maioria da população brasileira.

Em outras palavras, países de maioria cristã como o Brasil ou os Estados Unidos tendem a ser extremamente tolerantes com religiões minoritárias em seus territórios como o Islamismo, Budismo ou qualquer outra.

No Brasil  é possível até ser satanista confesso e não ser preso ou perseguido por isso, tal é o grau de liberdade apregoada por nossa Constituição Federal.

No entanto, o projeto de lei 122 quer fazer exatamente o oposto disto, punindo com até cinco anos de prisão quem tiver uma opinião contra a prática homossexual, mesmo que não ofenda a honra pessoal de ninguém. Quer impedir que um pai transmita a seu filho os preceitos cristãos que norteiam e nortearam a sua vida e de seus ancestrais. Isto é o que podemos chamar de “Tirania da Minoria.”

NUDEZ PÚBLICA

Isto é mais do que um retrocesso, é um verdadeiro absurdo e uma implosão do legado deixado não somente pela Revolução Francesa, mas pelos parlamentares que elaboraram a Constituição de 1988, a qual assegurou liberdade de culto e de livre pensamento, além do preceito constitucional que apregoa a inviolabilidade do lar:

“Artigo 220, inciso X: São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;”

A vida privada das pessoas é inviolável, mas o que vemos no movimento gay é uma verdadeira inversão promovendo uma exposição pública de  nudez  e muitas vezes de genitais em plena rua e recorrentemente à luz do dia, como acontece de forma contundente na parada gay ou como em casos mais graves como o da cidade de Castro na Califórnia, nos Estados Unidos, onde uma lei proibindo a exposição de genitais e nudez explícita foi promulgada agora em 2012. Veja a notícia clicando aqui.

Na parada do orgulho gay de São Paulo em 2012, o programa jornalístico “A liga” da TV Bandeirantes mostrou homens tendo relações sexuais em plena rua, com dezenas de preservativos jogados no chão.  Na reportagem, que pode ser conferida na seção Contra o PL122, a repórter pergunta aos homens “se não seria melhor irem para um motel ao invés de terem relações na lama e na frente de todos…”

Eles dizem a ela que não! Que  transam ali mesmo!

Prostituição e atos Libidinosos gravíssimos em plena Rua à vista de todos, sem o menor constrangimento são crimes previstos pela Lei 12.015/09 , mas como retiraram do YOUTUBE a matéria compacta que mostrava somente a prostituição e drogas no meio da rua, estamos direcionando para o vídeo completo que mostra toda a Parada 2012 com 1 hora e 5 minutos. Para ver a matéria que nos referimos, quando abrir o vídeo completo (que tem aproximadamente 1:05 minutos), por favor, avance para os 1:1:40 minutos (uma hora, um minuto, quarenta segundos) da reprodução do vídeo e assista até 1:03:38ou seja 1 hora, 3 minutos e 38 segundos

O que defendemos é que Qualquer agressão às pessoas deve ser combatida sempre porque fere o ser humano.

Caso haja agressão física ou moral contra qualquer homossexual, este deverá contar com o apoio total e irrestrito de cristãos para testemunhar ao seu favor contra o seu agressor ou agressores.

Infelizmente não vemos o mesmo pensamento de defesa de Cristãos por parte de grupos homossexuais que sempre se colocam como vítimas e nunca como potenciais agressores, o que é certamente uma generalização equivocada.

NÃO CONFUNDA O PRODUTO COM O USUÁRIO

Podemos nos expressar livremente contra a prática do fumo, sem ofender os fumantes.

Podemos nos opor às drogas sem ofender a honra de seus usuários.

Podemos nos manisfestar contra o alcoolismo, sem ofender as pessoas que bebem.

 Por exemplo, Meu amado sogro, Valter, bebeu e fumou por muitos anos. Oramos por sua conversão plena e pelo abandono dessas duas práticas terríveis desde que nosso primeiro filho, o Lucas Daniel, nasceu em 1995.

Durante todos esses anos abominamos o fumo e o alcoolismo presente diariamente na vida dele, mas nunca deixamos de amá-lo.

Certa manhã, quase um ano antes de falecer em março de 2012, estive em sua casa, ajudando a minha sogra a dar-lhe banho, porque depois do seu segundo AVC (Acidente vascular cerebral) ele quase não conseguia falar, quase não podia andar e não conseguia comer sozinho.

O fato de havermos abominado o uso do cigarro e da bebida por todos estes anos, não significa que o abominamos, a ele, a sua pessoa. Ao contrário, por amá-lo profundamente tínhamos o dever de alertá-lo sobre a escolha que ele estava fazendo por aquelas práticas de uso do cigarro e da bebida, as quais discordávamos veementemente.

Discutimos muitas vezes por conta disto. Inúmeras vezes citávamos, quase que “em vão”, versículos da bíblia para ele, já que foi membro da igreja Congregação Cristã do Brasil por muitos anos.

Com base nesse meu exemplo pessoal, não acredito que uma lei seja justa se ela proibir a mim ou a qualquer um a discussão sobre escolhas e comportamentos, a existência de reflexão e o reconhecimento de que existe, sim, a possibilidade de escolha de uma mudança comportamental de quem quer que seja, pois ninguém está condenado a morrer como nasceu.

Nenhum filho de traficante está condenado a seguir os caminhos do pai, nem tampouco a filha de uma prostituta. Filhos de homens violentos, comedores de terra, bestialistas, pedófilos, mentirosos, assassinos, ladrões, tímidos, viciados em coca-cola…. Todos podem mudar seus comportamentos se assim o desejarem.

Possuir uma natureza humana implica na extraordinária capacidade de mudança.

Podemos mudar de religião, de time, de país e até de opinião sobre determinado assunto, essa é a beleza da democracia: convivência pacífica entre contrários.

Obesidade2 Obesidade

Outro grande exemplo que posso dar é quanto ao Comportamento Alimentar das pessoas. Nos dias atuais, com o número crescente de Obesos mórbidos (e super mórbidos) e os prejuízos que os maus hábitos alimentares fazem às pessoas e ao sistema de saúde, tanto autoridades, quanto jornalistas fazem em toda a mídia apelos quase que diários para que as pessoas mudem seus hábitos alimentares.

Há inúmeras palavras de incentivo e de alerta dizendo aos milhões e milhões de obesos mundiais que a mudança é difícil, mas é – sim- possível. Encontramos nesta crescente população pessoas que estão classificadas como obesos, obesos mórbidos e obesos super mórbidos.

A todos eles é feito o apelo da mudança comportamental por conta dos prejuízos sorrateiros, mas profundos que terão em seus corpos caso persistam obstinadamente em manter esses péssimos hábitos alimentares.

Médicos e nutricionistas fazem ininterruptamente o apelo de mudança de comportamento alimentar e lhes é apregoado que a alteração comportamental voluntária é difícil, mas é possível, sim.

No entanto, para esse vigente pensamento homossexualista, que tenta nos impor o movimento gay, não é possível  (ou aceitável) que a pessoa mude seu comportamento sexual por sua livre iniciativa, porque isto, segundo a sua ótica, não é uma opção, mas sim um comportamento pelo qual o indivíduo está condenado a seguir por toda a sua vida.

E valendo-nos da interjeição bíblica,podemos dizer “Ai daquele” que tentar ajudá-lo quando optar por mudar de opinião e hábito sexual. Se este “samaritano” for médico, psicólogo ou professor, cassarão os seus diplomas, o classificarão como homofóbico e tentarão destruir sua vida profissional como os exemplos dos vídeos postados na seção Reagindo ao PL 122, a mordaça gay, que relatam, dentre outros, os dramas do Júlio Severo e da psicóloga Rosângela Justino.

O que estamos afirmando é que sexo é um comportamento aprendido. Comer também. Se é possível mudar o hábito alimentar é possível mudar o hábito sexual. Temos a escolha.

Tão absurdo quanto punir com cinco anos de prisão quem testificar que homossexualismo não é pecado, é fazer o contrário. Isso é o que propõe a PL122.

Assim, podemos ser contra a prática homossexual sem ofender aos homossexuais. Não temos o direito de ofender a ninguém, mas temos o direito de ser contra as suas práticas conforme o padrão bíblico, que afirma categoricamente ser algo contrário a natureza humana criada por Deus.

Ofender a honra da pessoa, menosprezando-a, além de ser um pecado que Jesus condena veementemente e diz ser uma atitude digna do sinédrio (Assembléia do supremo conselho entre os hebreus), os que o praticam cometem um ato antiético perante a sociedade laica. (Mt 5: 22b)

Porém, todos devem ter direito a opinião daquilo que consideram certo ou errado. Da  mesma forma como as pessoas são livres para expressar que gostam ou não da religião A ou B, que não gostam do time adversário no futebol, que são contra o fumo ou o etilismo (embriaguez), as pessoas não devem ser proibidas de dizer que não gostam da bíblia ou de orações ou ainda de crentes ( neste caso, a opinião de “não gostar” inclui ainda um grupo gigantesco de pessoas) .

No entanto, caso alguém ofenda diretamente a honra de um padre, pastor, pai de santo ou qualquer líder religioso, porque está atacando a pessoa e não as suas idéias e práticas, deverá ser punido na forma da lei, não porque atacou idéias e atitudes, mas porque atacou a honra de pessoas,  são duas coisas muito, mas muitíssimo distintas entre si.

DEMOCRACIA VIVA

O filósofo francês voltaire disse: ” Posso não aceitar sequer uma palavra do que disseres, mas preservarei para sempre o teu direito de dizê-las“.  Essa idéia do livre pensamento conquistou o mundo ocidental e adquirimos direitos que não podemos abrir mão deles de forma alguma.

 A livre expressão do pensamento, defendida e promovida pela revolução francesa, nos assegura que podemos discordar do outro sem ferí-lo ou obrigá-lo a calar-se por lei ou decreto.

Infelizmente, os movimentos gays querem fazer calar por força deste projeto chamado PL122 qualquer um que se manifeste contra a prática homossexual, cerceando o direito de todos à livre expressão do pensamento.

Se for aprovada, a lei terá a força de um dogma laico, uma verdade incontestável que, se contrariada, levará as mentes livres para a cela de uma cadeia.

Pais serão separados de seus filhos, maridos de suas esposas e lares e empresas serão desfeitos. O grau de punição aos discordantes da opinião vigente é neste baixíssimo nível, por isso é um ato tão nefasto e gravíssimo como não víamos desde o AI5 que cerceou a liberdade dos opositores da ditadura militar, com a prisão, a cassação ou a morte.

Recomendo fortemente que você informe-se sobre o que foi esta terrível fase da história recente do Brasil.

Em 1967 o Governo Brasileiro, cerceou direitos políticos e garantias constitucionais, instaurou a censura e podia prender qualquer cidadão que manisfestasse quaisquer idéias que fossem  consideradas oposicionistas.  Pessoas perdiam seus empregos, suas famílias e seus direitos, caso tivessem idéias contrárias ao governo, que podia invadir casas, prender e matar pessoas inocentes sem nenhum tipo de julgamento, pois ele era “prévio”, ou seja, era proibido pensar diferente.

O Compositor Chico Buarque, artista brasileiro oposicionista da ditadura militar e auto-exilado do Brasil, disse em sua música “Apesar de você”, referindo-se ao presidente Ditador Médice : “Hoje, você é quem manda! Falou, tá falado! Não tem discussão! A minha gente hoje anda falando de lado e olhando pro chão. Você que inventou este “Estado”…”

Oficialmente esse ato durou de 1967 até 1978, quando o presidente Geisel o revogou.

O projeto de lei  PL122 prevê a perda do emprego para funcionário público que manifestar-se contra o homossexualismo, perseguição e destruição da vida social de pessoas que tiverem um posicionamento contrário à sua filosofia nefasta de viver.

Daqui a pouco dirão que sexo com animais, conhecido como “bestialismo”, é algo normal e que há indivíduos que nasceram assim e que não tem escolha, são obrigados a fazer sexo com cachorros ou com porcos até o fim da vida.

Ser contra o bestialismo será tido como “Bestiofobia” e isso será inaceitável, dirão os partidários do “Movimento B ( de bestial)”.

Irão caçar o diploma de médicos, veterinários e psicólogos que se manifestarem contra a prática. Embora seja um impulso e um desejo natural do ser humano, fazer sexo com quem quer que seja, é sim uma escolha e uma capacidade incrível humana, inclusive a de não fazer, mesmo que se tenha vontade.

A essa extraordinária capacidade humana chamamos de Castidade. Deus nos fez diferentes dos animais neste sentido, pois um cachorro, mesmo na saída lotada de um jogo de futebol, não consegue se controlar com uma cadela no cio e fará o coito sexual na frente de todos sem o menor pudor, pois isso é da sua natureza animal. Diferentemente, os seres humanos tem a incrível capacidade de auto-controle.

Um dos gravíssimos efeitos nefastos que o projeto de Lei 122/ 2006 quer trazer é o nefasto conceito de que ninguém poderá sequer ser censurado por sua opção sexual. Isso certamente dará Amparo Legal para muitos pedófilos cuja opção sexual será fazer sexo com crianças.

Psicologia: posição contundente e divergente

Sigmund Freud e outros grandes estudiosos do comportamento humano sempre consideraram o homossexualismo como uma perversão e uma patologia em seus estudos. Hoje, os conselhos de psicologia proíbem cientistas da mente de classificarem ou estudarem o comportamento humano homossexual adotando essa ótica científica de Freud.

Podem estudar o homossexualismo, desde que jamais cheguem a uma conclusão diferente daquela que foi pré-determinada pelos conselhos que regem a categoria profissional.

Ora, isto não é ciência e seus dados e sua devida interpretação  já estão contaminados e comprometidos antes mesmo de iniciar-se qualquer pesquisa ou método científico, ou seja, por decreto, não por estudo, redefiniram o homossexualismo da condição de patologia para opção sexual aceitável.

Max Weber disse: ” Ciência alguma tem condição de provar seu valor a quem lhe rejeite os pressupostos”. 

Imagine que os cientistas possam estudar os efeitos dos gases produzidos por minas de carvão e pela queima de combustível dos automóveis, desde que jamais afirmem que eles aquecem o planeta e produzem a destruição da camada de ozônio. É exatamente isso que os conselhos de psicologia estão fazendo com relação ao assunto ao proibir um resultado antes que ele surja, se surgir.

NOVA INQUISIÇÃO

Há tempos os gays estão construindo uma nova inquisição, disfarçada de valores verdadeiros ( e algumas reivindicações o são de fato) na qual pretendem caçar todos os que se manifestarem contra este pecado.

Sim, pelos padrões bíblicos, o ato sexual homossexual é classificado como pecado. São crenças e valores transmitidos por milênios.

Há fundamentação sem haver fundamentalismo, no sentido de que todo cristão que se fundamenta na bíblia é rebaixado por seus opositores não crentes como sinônimo de fanático e fundamentalista.

Em outras palavras, despreza-se o que é sagrado para um enorme grupo social reclassificando a bíblia  como “livro retrógrado”, chegando por vezes a insultar as sagradas escrituras.

Voltando a falar da nova inquisição gay quase silenciosa, preciso dizer que eu mesmo já fui vítima desta aberração: Por me manifestar com os mesmos preceitos e argumentos expostos neste presente artigo, embora tenha tido uma postura ética por mais de 21 anos trabalhando em um determinado lugar, tendo resultados de excelência, fui perseguido e demitido por uma diretora gay, que se cercou de chefes gays, hierarquicamente subordinados a ela , mas no mesmo patamar que eu.

Mesmo quando denunciando que um desses chefes era opressor e perseguidor de pessoas no ambiente de trabalho usando o título de “amigo pessoal da chefe” e expressões como “até almoço com ela… por isso ninguém mexe comigo..” nada se fez, porque o denunciado em questão gozava de privilégios por “pertencer ao movimento”. São percepções subjetivas as quais sempre poderão ser contestadas sabemos disso, por isso ousamos dizer que nem todos têm essa real percepção.

 Devo dizer também que já tive uma outra chefe gay, de postura profissional impecável, no tratar, no falar e no agir. Foi uma honra trabalhar com ela. Há pessoas e pessoas, sabemos disso.

 Como cristãos, devemos perdoar  é pronto! É sim o nosso dever cristão porque se não o fizermos, nós também não seremos perdoados por Deus.

Mas é necessário que todos saibam: Já começaram este movimento gay inverso de vítimas para algozes. Quando se tornam chefes, alguns gays agem de forma antiética e perseguem e destroem a vida de quem pensar diferente.

Ao ler o projeto de lei 122 estão preparando a perda do cargo público para quem pensar diferente e a perda da liberdade e de toda a sua estrutura familiar por discordar da prática homossexual. Isto é criminoso e intimidador por si só.

Falando de fé: Gays, de um modo geral, estão escondidos em tantas cadeias de argumentos para querer justificar o seu pecado da homossexualidade que tornaram-se espiritualmentes cegos e suas mentes cauterizaram-se para que as palavras do Santo evangelho de Deus não mais entrem nelas. Ouvimos blasfêmias e insultos constantes ao evangelho, ou ainda dizem que Deus é amor e que não condena ninguém. Isso é um sofisma, que é apregoar a mentira usando termos verdadeiros. Depois de salvar a prostituta do apedrejamento, Jesus lhe disse: “Vai e não peques mais !

As palavras do apóstolo Paulo são especialmente para pessoas que negam a cruz para satisfazer as suas concupiscências (“desejos” em uma tradução mais fácil): “Ainda que nós mesmos( apóstolos de Cristo) ou ainda um anjo descido do céu…Sejam amaldiçoados todos os que querem mudar o evangelho de Cristo” Gl 1:7-8

ASPECTOS CONSTITUCIONAIS

Podemos nos opor filosoficamente a quaisquer práticas que consideremos imorais, segundo o padrão de nossa crença. Temos esse direito, baseado no Artigo 5º da Constituição Brasileira  que assegura,no inciso 4, direito de Liberdade de opinião, sendo vedado o anonimato.

VI – É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício de cultos religiosos e garantida na forma da lei a proteção ao local de cultos e suas liturgias;

VIII  Ninguém será privado de direitos por motivos de Crença religiosa ou de Convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para  eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir obrigação alternativa, fixada em lei;

Ou seja, se houver guerra, por exemplo, a obrigação legal de todos os homens é se alistar `as forças armadas, ninguém pode se recusar por “motivo religioso”.

IX – É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;

O que é censura

A melhor definição de censura que já li é de autoria do atual vice-presidente da república, o professor Michel Temer que assim a define: ” É a verificação do pensamento antes da sua divulgação, com o intuito de impedir a circulação de certas idéias.”

o Artigo 220 , parágrafo 2º diz: ” É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.”

Ora , viver para e pelo evangelho de Jesus Cristo é certamente uma das mais extremas ideologias de vida. Impedir que os ensinamentos bíblicos que condenam a prática homossexual sejam manifestas é censura pior do que a militar, porque disfarça-se na camuflagem de justiça social em prol de uma minoria, posicionando-se contra o direito da maioria.

Um dos problemas mais graves que este projeto pretende criar é o que tenta evitar a Constituição Federal do Brasil no seu artigo 19, inciso III: ” Art.19 – É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: Criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si. “

Por este projeto, pessoas gays estarão acima de todos os outros brasileiros que podem sim ser demitidos e não serem escolhidos para uma vaga de emprego pois o contratante de uma vaga qualquer poderá ser preso se não escolher o homossexual ao invés do heterossexual. Por conta de uma opção sexual, alguns brasileiros (“Que se confessem” Gays), terão privilégios que os demais não terão. Esse é uma aspecto muito grave e que fere diretamente o Artigo 19, inciso 3 da Constituição Federal do Brasil.

 Democracia é ter direito a ter a própria opinião como indivíduo pensante, discordante e inteligente.

Em qualquer instância, não significa ter necessariamente opinião contra pessoas (embora ela possa existir também, por exemplo:sou contra Adolf Hitler, Indiamin Dadá, e Kadaff) mas principalmente contra as suas atitudes e práticas.

É possível fazer vídeos contra a homofobia sem fazer apologia ao homosexualismo, o que não é caso por exemplo dos vídeos que querem impor nas escolas para nossas crianças de 07, 08, 09 anos em diante .

Esse debate é uma questão de fé. Se alguém não crê na bíblia fica difícil compreender o cristianismo e a nossa fé em Deus que é, sim, baseada no amor e não no ódio.

Mas, como diz um famoso psiquiatra brasileiro, quem ama educa.  Educar significa corrigir quando necessário, apontar, refletir e discordar, pois a criança que cresce em um ambiente no qual jamais é contrariada, terá inúmeros dissabores na sua vida em sociedade quando descobrir que para cada ato seu haverá consequências com as quais terá que arcar.

Cremos que a prática do homossexualismo leva as pessoas para a morte espiritual e por isso, não é somente o nosso direito, mas é o nosso dever alertar a todos os homens que cometem tais atos que se arrependam e se voltem para Deus. Pois, se o salário do pecado é a morte, é nosso dever alertar aos homens que se encontram nesta condição sobre o quão longe de Deus estão, pois a vontade de Deus está expressa em sua palavra, a bíblia, e ela quer que o homem tenha vida e não morte em seu ser.

As escrituras dizem…

Que os efeminados não entrarão no reino dos céus.( I Coríntios 6)

É chocante? Mas não fomos nós que escrevemos isto. São as escrituras sagradas que o dizem. Dizem também que  “o homem não deve se deitar com outro como se fosse mulher.” ( Levítico 18:22 / 20:13)

Que Deus considera “abominável a mulher deixar o uso natural do homem e o homem o uso natural da mulher para se arderem em paixão mútua. ” livro de Romanos capítulo 1

É claro que Deus fez o homem e a mulher e determinou que se unissem em amor.

O desejo de Deus é que os homens se salvem e aos que tem escolhido o pecado possam escolher o caminho reto da salvação.

Pode parecer um discursso piegas para quem não crê em Deus, mas para quem crê é a loucura da salvação e o Ministério da Reconciliação dos homens com Deus. ( II Cor 5:18)

Devemos reiterar que devemos abominar o bullying (opressão e violência escolar) tanto quanto a prática homossexual.

Infelizmente se aproxima o tempo em que as pessoas terão que sair de cima do muro. Pois enquanto muitos cristãos temerosos da sociedade em que vivem diziam: “Não tenho nada contra desde que não mexam comigo…”

Pois é… Estão querendo mexer conosco e impor homossexualismo para nossas crianças. Não podemos nem iremos aceitar!

Até o nome de militante, adotado pelos que defendem a prática homossexual, pressupõe táticas e estratégias de guerra e guerrilha.

Mas contra quem estão lutando? Contra o preconceito, dizem. Mas será mesmo só isso? Por que então fazer vídeos para crianças em formação incentivando a suposta identidade homossexual geral ?

Veja na seção Não ao PL 122, neste mesmo site, o vídeo ” 0,2% das famílias querem impor para 99,8% o absurdo kit gay – Salvem nossas Crianças” no qual vemos o militante Márcio Retanero dizendo ” Estou disposto a pegar em armas se preciso for…se for instalada uma teocracia no Brasil”.

O que aconteceria se algum Pastor ou algum padre ou outro líder Cristão dissesse que pegaria em armas se fosse Instalada uma “Gaycracia ” no Brasil? Os líderes desses movimentos entrariam imediatamente com ações dizendo que estariam “estimulando a violência contra homossexuais”. Esta é a chamada ditadura das minorias.

Neste mesmo vídeo, gravado em 15 de maio de 2012 pela TV Câmara no IX Seminário LGBT, “Estudiosos” gays dizem que meninos tem que “brincar,” sim, com o corpo de outros meninos para se “descobrirem” e as meninas devem fazer o mesmo… Dizem: “Deixem nossas crianças “brincarem” em paz! “

Brincar?!?!? Meninos… crianças tendo este grau de sexualidade, conforme a sugestão deste seminário? Isso é Brincar??? Para essas pessoas, sim. Recomendo que assista ao vídeo e ouça você mesmo essas afirmações que parecem ser absurdas e irreais, mas que são reais e estão registradas em vídeos públicos da TV Câmara.

Jesus Cristo nos ensinou a paz e o amor como ninguém, mas quando se trata de cuidado com crianças ninguém foi mais enfático e contundente do que ele:  “Qualquer um que desrespeitar um desses pequeninos, melhor seria que se amarrassem uma pesada pedra ao pescoço e lhe atirasse no fundo do mar.”

Esse padrão pernicioso e perigoso que querem impor para as nossas crianças pelo KITGAY, não podemos aceitar de forma alguma.

Como deve ser a educação Infantil?

A base de nosso pensamento cristão é firmada  no livro de John M. Drescher intitulado “As sete necessidades básicas da criança”. Poderemos analisar o teor do livro mais profundamente em um artigo complementar, pois infelizmente esse livro não tem liberação para Download, mas basicamente ele estuda profundamente do que a criança precisa para crescer como uma pessoa sadia: Significado; Segurança; Aceitação; Amar e ser amadas; Elogios; Disciplina e Deus. Recomendamos que adquira o livro, se quiser se aprofundar no assunto. Afora escritores cristãos, poderíamos citar teóricos da educação que não militam em prol do homossexualismo em detrimento da real educação infantil, mas não é esse o foco deste artigo.

Todos querem a paz, nós também, mas por amor, não tentem impor o homossexualismo para nossas crianças guela abaixo, isso implicará num inevitável confronto, totalmente desnecessário. Paz, é o que queremos!

Modelos de que?

Segundo o Censo 2011 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, existem cerca de 60 mil casais homossexuais,  o que corresponde a 0,2% do total de 30 milhões de casais heterossexuais do Brasil. Como podem querer ordenar a educação dos 99,8% restantes.

Respeito às minorias é algo digno, mas ser dirigido por elas é inadmissível já que o universo de famílias gays é infinitamente menor do que as demais e a promiscuidade entre esta parcela de pessoas é conhecidamente maior.

“Qualquer Homossexual pode ser modelo de artista, arquiteto, ou grande personalidade, mas nunca modelo de comportamento sexual, pois isto representaria o fim da espécie humana. É a lógica. Homem com homem não se reproduz, nem mulher com mulher. Não há avanço científico que mude isso. Portanto, devem ser tratados com tudo o que um cidadão brasileiro tem direito, mas não podem ser modelo de comportamento sexual” Dr. Enéas Carneiro.

Acredito que para os movimentos homossexuais serem ouvidos com respeito é necessário que respeitem o fato dos cristãos se oporem veementemente à prática sexual de pessoas do mesmo sexo.

Nós cristãos, acreditamos nos preceitos da bíblia como valores primordiais às nossas vidas. Por isso, militantes gays poderão encontrar em nós total apoio contra o bullying e contra a violência, mas não a favor do homossexualismo.

Não estamos falando de pessoas , mas sim de atitude  e escolha pelo modo de vida homossexual, assim como alguém pode obter pelo modo de vida cigano ou modo de vida hippie.

Um filme pró-homossexualismo para crianças e adolescentes como o que o Ministério da Educação (MEC) quer impor aos nossos filhos, certamente não diminuirá o Bullying, ao contrário pode ter o nefasto efeito de que nossas crianças, para deixarem claro que não querem ser homossexuais, sejam ainda mais contundentes em argumentos ou ações. E se forem filhos de não-cristãos poderão partir para a violência incentivados por seus pais.

É leviano querer juntar racismo com homofobia, apesar de serem semelhantes em suas ações finais, são ramos completamente diferentes. Um negro, não escolhe ser negro, nem um índio escolhe ser índio, sua etnia é inerente à sua condição humana.

É nessário entender que a homossexualidade é uma “opção sexual” e não uma “condição sexual”, Ou seja, o indivíduo opta por ser gay.

Essa opção, embora seja respeitada dentro da doutrina cristã do livre arbítrio, é considerada um pecado e também uma péssima escolha tanto quanto os pecados de matar, roubar ou adulterar.

Ou seja, uma condição grave de comportamento e esolha que afasta o homem de Deus. O homem é livre para escolher? sim. Mas se alguém escolher tomar veneno que o mate lentamente, deverá ser alertado por amor que irá morrer se permanecer tomando esse veneno.

Minha recomendação para os militantes das causas gays, é que quando forem elaborar filmes anti-bullying que o façam realmente com esta intenção.

Não é honesto querer vender a idéia pró-homosexual travestida de anti-bullying, as pessoas conseguem perceber nitidamente esta diferença.

E não precisamos mergulhar em nenhum tipo de erudição para entender o significado simples e direto da militância gay: Combater o preconceito. Esse é o jargão.

No entanto, não estamos falando de pré-conceito, mas sim de Crenças e Valores profundos que estão enraizados e foram trazidos a nós através do Evangelho de Jesus Cristo, que confronta sim o homem e seu pecado e o resgata da sua vã maneira de viver, que se corrompe com as concupiscências (desejos) de sua natureza decaída.

Não quero discutir sintaxe, morfologia ou hermenêutica. Quero falar da simplicidade do evangelho que convida a todos os homens a se arrependerem de seus pecados e se voltarem para aquilo que diz o criador: arrependei-vos e crede no evangelho. Quando se tratam de pecados sexuais, o convite é o mesmo para adúlteros, homossexuais, pessoas que cometem incesto ou sexo com animais. Pecado é pecado. Arrepender-se e voltar-se para Deus é o grande convite do evangelho.

Nenhum de nós pode se colocar acima de qualquer pecador, porque todos pecaram (incluindo a todos nós) e todos estão privados da glória de Deus. Rm 3:23

 No entanto, os que são de Cristo crucificam as obras da carne.( Gl 5:24)

Cientes desta nossa compartilhada condição de seres decaídos da glória de Deus, não podemos jamais olhar alguém de cima para baixo a não ser para estender a nossa mão para que se levante do lamaçal onde está.

Alguns números que provam que o Brasil não é Homofóbico

Antes de analisar os números é preciso lembrar que o conceito de homofobia que tratamos aqui é o ódio por homossexuais desejando lhes infringir humilhações e sofrimentos ou até mesmo a morte.

Em 2011 as Estatísticas Oficiais declaram que cerca de 50.000  (cinquenta mil)  pessoas foram assassinadas no Brasil e dessas, cerca de 260 eram homossexuais.

Se utilizarmos as estatísticas equivocadas e hipervalorizadas do movimento gay que afirma que a população homossexual no Brasil corresponde a 10% da População, diríamos que existem cerca de 19 milhões do universo de 190 milhões de Brasileiros.

Os números não são estes, mas para efeito de provar que os números podem elucidar em muito esta questão vamos adotá-los para expor o verdadeiro absurdo de classificar o Brasil como homofóbico (que quer o sofrimento ou morte de gays).

Duzentos e sessenta assassinatos no Universo de 19 milhões correspondem a 0,0012681%, o que não é nada, comparado aos Cinquenta mil assassinatos dentro de um universo de 171 milhões (descontados os supostos 10% de gays) que correspondem a 0,2923% da população, ou seja, 230 (duzentas e trinta) vezes mais fazendo-se a divisão de 0,2923% por 0,0012681 % os percentuais de heteros e homossexuais assassinados. 

Para ficar claro, podemos afirmar que, do suposto grupo de 19 milhões de pessoas homossexuais, no Brasil são assassinadas 260 pessoas anualmente, enquanto que para cada grupo de 17 milhões de heterossexuais são assassinados cerca de 5.000 (Cinco mil!!!) pessoas. A Desproporção entre os dois grupos é tamanha que só pode aceitar este tipo de argumento de que os “gays são assassinados só pelo único fato de serem gays” quem sofreu algum tipo de lavagem cerebral.

Outro aspecto importante a ser salientado é que muitos, com certeza, a imensa maioria  desses assassinatos, não são causados por ódio aos gays, mas muitos deles por “brigas de amor” entre eles, ou em dívidas e agressões de clientes de prostituição que foram roubados ou lesados. Não estamos negando de forma alguma que possa eventualmente ocorrer de fato algum crime de ódio, contudo isto certamente é a exceção nestes 260 casos.

A quem interessa então afirmar que o Brasil é um país homofóbico?  Certamente aos grupos gays que dirigem as ONGs que recebem grandes quantias de dinheiro Governamental em milhões de reais e cuja destinação pormenorizada da verba não sabemos ao certo para onde vai.

Os dados aqui expostos e plenamente auditáveis, desmentem que o Brasil seja um país de ódio contra Homossexuais, pois 260 mortes em um universo de 19 milhões não é nada em comparação a 50 mil mortes em um Universo de 171 milhões ( 190 milhões total populacional menos 19 milhões de supostos gays)

Ou seja… há proporcionalmente 230 vezes mais assassinatos de heterossexuais do que de homossexuais considerando os dados específicos de cada opção sexual, pois não podemos nos esquecer que o indivíduo pode sim escolher o seu comportamento sexual.

Estes dados provam que o Brasil é um país homofóbico? Nosso país deseja o extermínio de homossexuais? Claro que não! mas é uma mentira constantemente propagada a fim de que as ONGs Gays se abasteçam de dinheiro público. 

A questão central é a busca frenética pelo pecado. 

Há tanta fundamentação bíblica para dizer que o homossexualismo e a devassidão sexual é pecado que nem todas as páginas de internet do mundo caberiam e teríamos que discorrer por anos. Não me prolongarei muito, mas tentarei expor os pontos principais contra esta doutrina diabólica que quer colocar o homossexualismo como algo que Deus aceita.

Ponto 1. Aceitar a Jesus, implica em renunciar e crucificar os seus pecados juntamente coma sua maneira vã de viver

O ponto primordial refere-se ao que o homem faz com seu corpo. Para o ateu é fácil pensar e dizer: “o corpo é meu e eu faço o que eu quiser com ele.”

Eis aqui a nossa diferença principal. Segundo as escrituras, o corpo não é nosso. Nossa vida não nos pertence. Nem mesmo um suicida tem o direito de tirar a própria vida. Sabe por quê? Porque ele não se fez. A vida não lhe pertence.

“Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” [1 Coríntios 6:19]

O apostolo João disse o seguinte: “Não ameis o mundo, nem as coisas que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência (desejo) da carne, a concupiscência (desejo) dos olhos e a soberba (arrogância) da vidanão procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência (desejo); aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente.” (1 João 2:15-17)

 Paulo alertou aos cristãos há mais de dois mil anos sobre como deveriam andar (Ef. 4: 17-24): Digo e testifico no Senhor, que vocês não devem andar como andam os descrentes em Deus, nas vaidade de seus pensamentos.

Estão entenebrecidos (bêbados) no entendimento e separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, por causa da dureza de seu coração. Eles se tornaram insensíveis e se entregaram para a dissolução (depravação) para com avidez (voracidade, gula) cometerem toda sorte de impureza.

Mas vocês não aprenderam assim a Cristo, se é que o ouvistes, e nele fostes ensinados, conforme é a verdade em Jesus, que quanto ao modo de viver antigo ( *em pecado) se despojem do homem antigo que se corrompe pelas concupiscências ( desejos) do engano; e vos renoveis no espírito do vosso entendimento.

E Vos revistais do homem novo que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e Santidade.”

Deus nos criou como seres sociais e por isso ele sabe o quanto a convivência pode mudar os nossos valores e corromper-nos à semelhança dos que não conhecem a Deus. Por isso, Deus alertou o seu povo no livro do Deuteronômio 18:9 “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos.”

Tanto os romanos quanto os gregos viviam esta busca frenética pelo prazer carnal. Paulo pregou o evangelho a eles e recomendou fortemente que abandonassem seus pecados e sua vã maneira de viver.
Sodoma e Gomorra foram aniquiladas por Deus por causa de sua devassidão, algo que Deus abomina, pois ele nos chama a viver em Santidade.

Não há respaldo bíblico para o homossexualismo. É um direito gay se amparar em falsos doutores que queiram justificar o injustificável, mas não na bíblia.

 Se Jesus é o teu mestre, só a ele servirás. (MT 4:10)

Agora, se como os hedonistas (“buscadores do prazer”) gregos que Paulo encontrou em Atenas, a tua vida se resumir em buscar prazer, você fará como Paulo disse a Timóteo: Se cercará de mestres para corroborar (confirmar) a tua tendência homossexual e fazer a tua vontade e não a de Deus.

“Não vos enganeis, as más conversações corrompem os bons costumes.” (1 Coríntios 15:33)

 Fica evidente que para muitos o círculo de amizades gays influenciam muito mais os seus valores do que a palavra de Deus, não é? Como é que crerão e mudarão este comportamento pecaminoso se não fundamentarem as suas vidas na palavra de Deus?

Romanos 10:14b como crerão naquele de quem não ouviram falar? 16 Mas nem todos deram ouvidos ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem deu crédito à nossa mensagem?17 Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo. 21 Quanto a Israel, porém, diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente.

O quanto você tem ouvido do evangelho, caro leitor? Nós que trabalhamos com ensino superior, ouvimos e dizemos o tempo todo: “segundo o doutor fulano… ou o mestre beltrano de tal… o correto é isto ou aquilo…”

Entretanto para nós cristãos, a nossa fé não se baseia em homens, mas na palavra de Deus. O próprio apóstolo Paulo disse que ainda que se os próprios apóstolos de Cristo, incluindo ele mesmo, ou ainda a impressionante descida de um anjo do céu anunciasse um outro evangelho, tentando mudar o que Cristo ensinou, que seja amaldiçoado para todo o sempre. (Gl 1:7-8)

Jesus disse: “Errais não conhecendo as escrituras nem o poder de Deus” Mt 22:29

É um erro porque ao ouvir, não somente escutar, mas dar ouvidos, à palavra de Deus o poder de Deus poderá libertar o homem de toda enfermidade e desvio que tiver, quaisquer que forem os seu pecados, deles o senhor não se lembrará mais.

 Jesus disse: ”Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim; mas não quereis vir a mim para terdes vida!” (Jo 5:39-40)

As escrituras claramente convidam o homem a abandonar a sua opção sexual gay e vir para Jesus, mas qual tem sido a escolha dos homens e mulheres gays? A não-vida como disse Jesus no versículo acima.

A resposta de Deus ao homossexualismo é clara: Crucifique a carne.

Diz a palavra de Deus:
“Os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências.” (Gl 5:24)

“Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se pelo Espírito mortificardes os feitos do corpo, certamente vivereis.” (Romanos 8:13)

Paulo refutou em Atenas, o berço da mitologia e da Filosofia, que são as bases de nossa cultura ocidental, os pensamentos Epicuristas, Hedonistas e pecaminosos que os gregos tinham, substituindo-os pela loucura da cruz de Cristo ( I Cor Capítulos 1-2).

O que em outras palavras, significa crucificar o pecado, nele incluindo o homossexualismo, extensivamente praticado pelos gregos e romanos para quem Paulo pregou.

Para um rapazinho grego chamado Timóteo, Paulo escreveu:

“ II Timóteo 3:1 Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; 2 pois os homens serão amantes de si mesmos,

gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios,

3 sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem,

4 traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos prazeres do que amigos de Deus,

5 tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta- te também desses. ”

 Permitam-me também comentar as claras palavras do Apóstolo Pedro em seu segundo livro: II Pedro Capítulo 2 “12 Mas estes, como criaturas irracionais, por natureza feitas para serem presas e mortas, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção,”

Os animais irracionais sedem aos seus impulsos sexuais por eles serem mais fortes do que qualquer condição moral pois são desprovidos delas. Um cão pode transar com uma cadela na saída do estádio do Morumbi sem se constranger. Podemos dizer que os que defendem o homossexualismo hoje blasfemam do que não entendem e morrerão em sua corrupção.

“13 recebendo a paga da sua injustiça; pois que tais homens têm prazer em deleites à luz do dia; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em suas dissimulações, quando se banqueteiam convosco;”

Sabemos o quanto os homossexuais pleiteiam “mostrar sua afetividade” publicamente, á luz do dia e querendo convencer as pessoas através de suas dissimulações ( disfarces de Cristãos) querendo infiltrar-se no cristianismo para parecerem cristãos. Isso, por conta de sua peculiar inteligência, pode inebriar e desviar da palavra de Deus os menos crentes em Deus que não firmam sua fé na palavra, mas sim na religião.

“14 tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecar; engodando as almas inconstantes, tendo um coração exercitado na ganância, filhos de maldição;”

A promiscuidade homossexual, sobretudo a masculina, é insaciável no pecado e como disse Paulo aos Romanos: “Embora tenham conhecimento da Justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam) , não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam.” (Rm 1:32).

“15 os quais, deixando o caminho direito, desviaram-se, tendo seguido o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça,”

O homossexualismo é um desvio grave e os que optam por ele deixaram o caminho direito segundo as escrituras.

 “16 mas que foi repreendido pela sua própria transgressão: um mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.”

Assim como Balaão foi repreendido por um animal que falou com ele, assim o senhor usará os meios mais inesperados para comunicar aos pecadores a palavra de salvação ou de morte.

17 Estes são fontes sem água, névoas levadas por uma tempestade, para os quais está reservado o negrume das trevas.”

Não há vida no homossexualismo. Vimos morte, devassidão, promiscuidade, lascívia, orgias (Gl 5: 19-21) ou seja o fruto da carne que os que os cometem não herdarão o reino de Deus.

18 Porque, falando palavras arrogantes de vaidade, nas concupiscências (desejos) da carne engodam com dissoluções aqueles que mal estão escapando aos que vivem no erro;

19 prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção; porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo.

Pedro diz que os homens que vivem como escravos de seus próprios desejos tem esta tendência arrogante, que talvez por sua inteligência destacada se tornam vaidosos, de levar ao erro também outros homens que estavam quase se libertando do pecado (inclusive do homossexualismo).

Dizendo que “sair do armário”( assumir a homossexualidade) é “Liberdade”( v.19) mas na verdade são prisioneiros do pecado e não livres dele, pois se são vencidos pelo desejo são escravos dele. Cristo nos chamou para a liberdade e disse para não nos deixarmos prender pelo pecado. (Gl 5:1).

“ 20 Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo pleno conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, ficam de novo envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro.

21 Porque melhor lhes fora não terem conhecido o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado.

22 Deste modo sobreveio-lhes o que diz este provérbio verdadeiro; Volta o cão ao seu vômito, e a porca lavada volta a revolver-se no lamaçal.

 

Convite Especial

 É um convite que faço em nome de Jesus Cristo a todos os que têm feito a Opção sexual pelo pecado e se orgulham disto: venham para Jesus!

Que o senhor Jesus Cristo e o Espírito Santo de Deus possam convencê-los.

Eu sei que eu não posso. Não serão os meus argumentos, mas sim o Espírito Santo é quem convence o homem do pecado da justiça e do juízo, segundo o evangelho de João , capítulo 16.

Portanto a função de convencer não é minha, é somente de Deus.

A fundamentação bíblica está lançada.  O irmão Joide Miranda, do vídeo anterior a matéria, no início da página, provou que é possível libertar-se do pecado, por isso seja livre você também.

A paz de Cristo seja sobre o coração de todos e que a sua palavra possa realmente encher-nos de vida!

 

Bem aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Mt 5:10

Você foi abençoado com o que recebeu nesta página? Então agradeça a Deus e compartilhe com outras pessoas, para que elas sejam abençoadas também!

Se puder, abençoe nosso ministério, o qual não é financiado ou patrocinado por nenhuma igreja, por isso, dependemos da Generosidade de corações como o teu.

Agora você pode ajudar o Ministério ” Joanilson Rodrigues e Marília Rodrigues ” com Depósito  PAGSEGURO do UOL, que é  uma empresa confiável para pagamentos Nacionais e Internacionais.

Você pode escolher a melhor forma de fazer a sua doação (de qualquer valor) de qualquer lugar do mundo:  Cartão de Crédito – Cartão de Débito – Boleto Bancário. Basta clicar na imagem abaixo e seguir as instruções.

Caso não queira doar pelo PAGSEGURO, por favor,  visite a seção Doações.

LEMBRETE

Lembramos que não ficamos de posse de nenhum de seus dados, pois toda doação é feita diretamente ao PAGSEGURO e a quantia que você nos doar, só nos será repassada por eles após 14 dias de sua efetuação, quando expira o prazo para cancelamento de doação.

Você não conhece o PAGSEGURO? É uma empresa da UOL  e é totalmente confiável na qual você poderá fazer a sua doação sem receio algum, pelo método que melhor lhe convier, mas se desejar mais informações prévias sobre o seu funcionamento e idoneidade antes de efetuar a sua doação, por favor acesse as seguintes páginas:

1- PAGSEGURO em português:    https://pagseguro.uol.com.br/sobre_o_pagseguro.jhtml

2- PAGSEGURO in English:

https://pagseguro.uol.com.br/en/how-it-works.html

Anúncios

9 respostas para Homossexualismo e a Homofobia

  1. Ana Claudia disse:

    A Paz do Senhor Jesus.
    Amado irmão Joanilson, vai nessa tua força e fé em Cristo Jesus. Maior é o que está contigo. Que
    Deus continue abençoando o teu ministério. Fique com a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
    ass: Irmã Ana

  2. Luiz Antonio da Silva disse:

    Joanilson,
    Sabemos que a história do homem é dinâmica e sofre toda ordem de influências. Creio que Deus nos possibilita a oportunidade de levarmos o seu ensinamento aos nossos contemporâneos para que possam alcançar a salvação eterna. Creio que é somente isso que podemos fazer. A luta é não momentânea, mas perpassa o tempo, o tempo da humanidade. Que Deus esteja sempre contigo e te proteja nessa batalha espiritual, até o fim!
    paz e bem

  3. Jayy disse:

    Para mim é lorota em cima de lorota. Todo o gay ‘curado’ pelo meio evangélico que vi continuava apresentando de forma velada suas características homosexuais. Homosexualidade é cientificamente comprovada como não é patologia, portanto sua luta é vã. No futuro gays serão bem tratados assim como o são aqueles que um dia foram tidos como raça destinada a escravidão.

    • Jay.

      Em nenhum Instante chamamos de patologia ou doença. Como crentes, acreditamos que isso é uma escolha e um desvio do plano de Deus. Tratar bem homossexuais não precisa ser algo do futuro, hoje já fazemos isso, mesmo não concordando com seu estilo de Vida. Assim como tratamos bem um fumante, independentemente de discordarmos da prática do fumo.

      O Estilista Clodovil afirmou na parada Gay que não tinha “Orgulho de ser Gay”, mas sim de ser um profissional de sucesso e que nenhum gay deveria ter orgulho disso, mas sim de sua vida pessoal.

      O sexo não deveria ser motivo de orgulho para ninguém, é um detalhe da vida, e certamente o caráter não está atrelado ao aspecto de com quem se faz sexo, mas se a pessoa possui ou não valores reais e universais ensinados por Deus na bíblia sagrada para quem acredita nela.

      Sobre o projeto de “Cura Gay”

      A questão é a seguinte: Se um heterossexual estiver em dúvida sobre assumir a homossexualidade ele pode procurar um psicólogo para ajuda-lo nesta transição. Mas se for o contrário, não. Caso um homossexual esteja em conflito com sua sexualidade e sentindo atração por mulheres, pelo antigo posicionamento do conselho de psicologia, nenhum psicólogo pode ajuda-lo a descobrir a sua heterossexualidade. Esse absurdo é que estavam tentando corrigir. A apresentadora da Globo, Fátima Bernardes, chamou de “cura Gay”… Não se trata de cura, mas sim da real possibilidade de verdadeira liberdade de escolha e de esta escolha receber suporte profissional. Infelizmente o que os ativistas gays querem é condenar quem é homossexual a uma condição eterna, sem a menor possibilidade de mudança se a pessoa assim desejar. É uma prisão perpétua. É pior do que aqueles que entram no tráfico e querem sair dele, mas são impedidos por ameaças de morte. Ao rotular a decisão de “Cura Gay” tentam confundir a sociedade que ainda não entendeu o drama de psicólogos como Rosângela Justino que foi impedida pelo conselho de psicologia de ajudar aqueles que se julgavam infelizes com a vida homossexual que tinham. Falam em “liberdade” mas a verdade é que grande parte da imprensa ativista quer impedir a qualquer um que tenha vivido uma homossexualidade de mudar. Vários canais já chamaram o Marco Feliciano para esclarecer seus posicionamentos, por que a Globo não faz o mesmo? Danilo Gentili, Amaury jr., entre outros tiveram a coragem de entrevistar ao invés de achincalhar o homem. Essa é uma das mais grotescas manipulações que já vimos. Respeito Sempre, como diz a matéria logo no seu título, pensamento unânime não! Respeitamos todos os homossexuais e o texto apregoa este respeito o tempo todo, isso não quer dizer Compactuar como pensamento. É como Voltaire disse: ” Posso não aceitar tuas palavras, mas preservarei para sempre o teu direito de dizê-las.”

      • Leonardo disse:

        Esse discurso que lemos acima é algo muito mais bonito do que a realidade.
        Sou ateu, porém respeito todas as religiões entendo que esta é uma necessidade individual por uma busca de alguma forma de “conforto”. Tendo em vista que existem muitas religiões e com propósitos diferentes,incluindo serem ou não cristãs, entendo que esta página é direcionada para um publico especifico e aparentemente com uma pequena falta de informação.
        O termo homossexualismo não existe há 27 anos ,o sufixo ‘ismo’ denota doença, e isto seria uma forma verbalizada de homofobia sim, como em seu proprio discurso afirma que não se pode usar o termo homofobia, determinando que a fobia seria uma doença.
        Estampa-se uma imposição indiscreta no artigo, sobre posicionamentos e um falso pedido de paz, exigindo o silencio sobre crimes com uma comparação banal sobre a quantidade de assassinatos entre heteros e homos, esquecendo que o combate a homofobia não é uma estatisca sobre assassinatos e sim suas motivações.
        Usar trechos de um livro que não é sagrado de uma forma unanime é mais uma vez uma imposição sobre pensamentos particulares e convenientemente ultrapassados.

      • Caro Leonardo, dizer que o termo “ISMO” não é usado há 27 anos é mais do que um equívoco. Está inclusive em textos super recentes como o da revista veja, disponível neste site.

        Querer impor o termo “homossexualidade” para fugir de uma pretensa conotação negativa que o sufixo “ismo” (de “homossexualismo“) imporia, é desconhecer que sufixo “dade” pode ser tão ou mais negativo do que o “ismo”. Eis alguns exemplos positivos da terminação “Ismo” e que, de forma nenhuma, significam “Doença” como você afirmou: “Tropicalismo“, “Jornalismo“, “positivismo“, “Indianismo” e tantas outras palavras com essa terminação tem significado absolutamente positivo.

        Vejamos termos com o sufixo “dade” que você pede que seja associado a “Homossexual” como sendo sua terminação para lhe inferir um caráter positivo : “Maldade“, “Atrocidade“, Malignidade ou “Leviandade” que têm a mesma terminação de homossexualidade e são extremamente negativos… Portanto, essa é uma discussão inútil que tem o intuito de se focar no negativo, não importando o que se diga. Dessa maneira, fica muito difícil o diálogo, por questões meramente linguísticas.

        Queremos e pleiteamos o respeito e amor a todos os homossexuais, mas não a criação de uma casta de pessoas que estão acima das demais unicamente por sua opção por um determinado comportamento sexual. Não acredito que o caráter de ninguém possa ser medido pela maneira como faz sexo. Portanto, o que defendemos é tratamento igual a todos e a defesa da família tradicional, é nosso direito pensar e defender isso sem agredir ou defender a agressão a quem quer que seja. Que Jesus Cristo ilumine a tua mente e o teu coração.

  4. Neri disse:

    Os dados que mostram o número de assassinatos de Heterossexuais e Homossexuais, é notoriamente tendencioso pois eu duvido que algum Heterossexual morreu por ser Heterossexual, enquanto os crimes de ódio contra os Gays é realmente assustador,ora, para de se esconder atrás da religião para legitimar seu preconceito,ódio e ignorância.

    • Caro Neri, há testemunho de Gays como o Joide Miranda que afirmam que há sim assassinatos de gays por gays e muitos infelizmente por dívida com tráfico de drogas. Pelo menos no Brasil, os dados não confirmam o assassinato de gays no Brasil somente por sua opção sexual. Quando se noticia a morte de um gay, imediatamente a imprensa afirma: ” … E há suspeita de que foi crime de homofobia….” quando se investiga realmente se descobre que foi suicídio, como o rapaz no viaduto em São Paulo em 2014 ou dívida com traficantes. Infelizmente, na maioria dos casos, não voltam ao público para esclarecer, pois a falsa manchete de “crime de homofobia rende mais”.

      Os dados relatados são coletados por institutos sérios. Se você possui pesquisa e metodologia científica que contradiga, por favor, pode apresenta-los. Apresentamos dados que comprovam a nossa tese, recomendo que faça o mesmo.

      O Brasil, graças a Deus, não é uma nação que odeia Homossexuais nem quer a sua destruição. Gente imbecil e violenta há em toda parte e deve ser presa se cometer crimes contra gays ou contra héteros, mas você não pode nos acusar de ódio de forma alguma. Leia com atenção todo o texto e tire as suas conclusões. Mas se não consegues ler na íntegra, dando apenas mergulhos rasos na matéria, infelizmente irás fazer julgamentos equivocados sobre o que estamos falando.
      Infelizmente, muitos movimentos gays fazem uma lavagem cerebral para que seus seguidores digam que todos os religiosos se escondem atrás da religião e odeiam gays. O preconceito e ignorância são daqueles que propagam essas mentiras sem nunca terem se dignado a ler um artigo como este do início ao fim.
      Que Jesus Cristo ilumine a tua mente e o teu coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s